Inspirações e Curiosidades

Qual foi a inspiração para escrever o Amor, Maybe?

 

          Amor, Maybe, lançado em 2011, foi meu primeiro romance e teve como inspiração um  grande amor da minha adolescência. O término desse relacionamento foi muito doloroso para mim e escrever foi a maneira que encontrei de tentar exorcizar esses fantasmas e contar a história numa perspectiva romanceada. Como diz aquela música do Leoni: “Eu te imagino/ Eu te conserto/ Eu faço a cena que eu quiser”. Foi exatamente isso, recriei nossa história imaginando, consertando e me divertindo muito!

          Uma curiosidade é que geralmente sonho com os temas dos meus livros. Com o Amor, Maybe foi assim. A ideia surgiu em 2002, nessa época eu já tinha a vontade de escrever uma história de amor e um dia acordei com essas palavras na minha cabeça: "Encontre-me,  encontre-me". Foi essa frase que me mostrou o caminho de como seria o Amor, Maybe e é com ela que o livro começa. 

       O enredo é fictício, porém algumas cenas foram inspiradas em situações reais. A festa onde Josie e Matt se conheceram, por exemplo, realmente aconteceu. Situar a história em outro país foi uma das maneiras de torná-la mais fictícia, entretanto, como queria que o Brasil também aparecesse no livro, fiz com que a história se passasse nos dois países. A etapa de pesquisa foi extensa e trabalhosa, incluindo visitar feiras de intercâmbio, coletar catálogos de universidade americanas e muitas visitas virtuais pelo google maps, entre outras coisas.

         Enquanto escrevia, o título provisório era “Estrela Guia”, porém era um título bastante comum e não expressava bem a mensagem que eu desejava transmitir. Queria algo que não fosse fechado, que deixasse a possibilidade do talvez. Foi a primeira revisora do livro que deu a ideia de colocar o título nas duas línguas e assim surgiu Amor, Maybe.

          Em geral, quando penso em algum livro, já tenho a história toda na cabeça, sei como vou começar, as tramas que estarão no meio e como será o final antes de digitar a primeira linha. Também gosto de ouvir música durante o processo, isso me inspira bastante. Você inclusive pode conferir a playlist do Amor, Maybe aqui.


 

E a inspiração para escrever A Casa dos dois Amores?

 

          A Casa dos dois Amores, publicado em 2014, foi meu segundo romance e teve duas motivações: queria fazer uma homenagem ao meu marido e também marcar a data histórica dos 50 anos do Golpe Militar de 1964. 

       Durante vários anos participei ativamente de atividades dentro da igreja católica e foi assim que conheci meu marido, que teve a experiência de viver no seminário por alguns anos também. Dessa forma, a questão religiosa é muito presente no livro, sendo tratada por perspectivas diferentes pelos protagonistas.

         Para esse livro queria uma história que se passasse no Brasil e a chave para distanciá-la da vida real foi o marco temporal, já que a história se passa na década de 60.

          O processo de pesquisa histórica deste livro foi muito maior que o anterior, já que nasci na década de 80. Por ter como pano de fundo a Ditadura Militar, foi preciso muito estudo sobre esse assunto, bem como dos usos e costumes da época, inclusive nas igrejas, que ainda celebravam as missas em latim, por exemplo. 

          Apesar de ser um livro romântico, doce e delicado, algumas passagens são pesadas e me fizeram ter pesadelos algumas vezes, como as perseguições do DOPS ou (alerta de spoiler!) a morte do Frederico. 

       Outra vez as músicas me ajudaram muito no processo criativo e você pode conferir a playlist A Casa dos dois Amores aqui.