Buscar
  • escritorafrancinec

É melhor a ilusão ou a desilusão?


Arte: Débora Bacchi


Ai quem me dera uma feliz mentira

que fosse uma verdade para mim!

J. Dantas


Em tempos pandêmicos, a reflexão acaba se tornando mais constante, mesmo para alguém como eu, que não tem muita paciência. Vide as circunstâncias tumultuadas do mundo ao nosso redor, o melhor mesmo a fazer é tentar sossegar a mente e entender algumas coisas dentro da gente primeiro.

Foi então que me peguei a pensar em algumas palavras. Gosto de brincar com elas, sou escritora, palavras são meu instrumento de trabalho e minhas companheiras. Devido a algumas situações ocorridas nos últimos tempos, cheguei a palavra ilusão.

Para mim, ilusão tem um sentido ruim, significa que você não está percebendo as coisas da maneira como elas realmente são, ou seja, está se enganando. Sendo essa palavra negativa - ao meu ver, fui levada instintivamente a pensar num antônimo. Cheguei em desilusão, que literalmente acabou com minhas esperanças.

Se ilusão era engano, desilusão era decepção, desapontamento. Encontrei-me numa encruzilhada. Seriam as duas palavras ruins? Alguma delas poderia ser boa?

Um ilusão nos deixa felizes com uma mentira. Uma desilusão nos deixa tristes com a verdade. É melhor ser alegre que ser triste? Ou é possível alegrar-se pela tristeza causada pela desilusão?

A vida não precisa ser tão cartesiana a ponto de nos obrigar a uma única escolha. Gosto de ter minhas ilusões (ou não seria escritora, muito menos professora!) e gosto de perdê-las de vez em quando também, porque não quero ser feita de trouxa.

Sair do País das Maravilhas às vezes é necessário, mas ter um ranchinho dentro dele pra passar um tempo é espetacular!


Francine Cruz

(Texto originalmente escrito em setembro de 2020)


40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo